Promover a negociação coletiva no sentido da valorização do trabalho – por Maria da Paz Campos Lima*

As abordagens predominantes nas análises da OCDE e do FMI, desde os anos 80, contribuíram para a acentuação da transferência dos rendimentos do trabalho para o capital através da moderação salarial e da flexibilização do mercado de trabalho. Esta flexibilização reforçou também o poder patronal em sede da negociação coletiva e permitiu a precarização do emprego e a expansão das práticas de baixos salários. Mais … Continue a ler Promover a negociação coletiva no sentido da valorização do trabalho – por Maria da Paz Campos Lima*

Webinar: O Futuro do Trabalho pós-crise Covid19 – em Portugal, Espanha e França | 8 de Julho | 4.ªfeira | 20:30 h |

Com: António Brandão Moniz – Professor FCT/Univ. Nova Lisboa Tema: Teletrabalho, a transição digital e a necessidade da sua regulamentação Fernando Bessa Ribeiro – Professor Univ. Minho Tema: Trabalho, desigualdades e precariedade em tempo de pandemia. Luis González – Psicólogo, membro do CN das CCOO Tema: Teletrabalho e a Oposição à Revogação das Leis do Trabalho em Espanha Maria da Paz Lima –  Professora ISCTE … Continue a ler Webinar: O Futuro do Trabalho pós-crise Covid19 – em Portugal, Espanha e França | 8 de Julho | 4.ªfeira | 20:30 h |

CTT – Greve Geral 29 Maio

Convocada por todas as Organizações Representativas dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações, Sindicatos e Comissão de Trabalhadores, a greve do próximo dia 29 abrange os trabalhadores dos CTT Expresso e dos CTT — Correios de Portugal, em luta contra a imposição unilateral da administração de substituir o atual subsídio de refeição, pago mensalmente com o vencimento por transferência bancária, por um “cartão de refeição” que … Continue a ler CTT – Greve Geral 29 Maio

1º de Maio: A luta global – por Miguel Vital*

Os trabalhadores não se podem descuidar. Têm que lutar pela democracia, pelos seus direitos de cidadania, contra as pulsões securitárias que agitando medos e fantasmas pretendem anular direitos, atentar contra as liberdades para impor o pensamento único de que não há alternativas.
Os que não gostam do 25 de Abril também não gostam do 1º de Maio. Desiludam-se pois, todos quantos querem esvaziar e anular o sentido duma luta tão global como esta. O 1º de Maio significa uma luta com passado, com presente e com futuro. Continue a ler 1º de Maio: A luta global – por Miguel Vital*

Trabalhadores por turnos: grupo de risco invisível

Sabemos que o sector económico e rentista não irá desistir um segundo que seja da obtenção de lucro, e que os sectores vitais para o país, da alimentação à saúde, ou da energia aos transportes, caso parassem, colocariam em risco milhares de vidas. É nessa base que devemos pensar neste momento. O que não devemos é tornar quem trabalha por turnos num grupo de risco invisível, permitindo que não se criem mecanismos de mitigação específicos e a necessária justiça que se impõe, questões indissociáveis das lutas de uma esquerda anticapitalista. Continue a ler Trabalhadores por turnos: grupo de risco invisível

TAP – trabalhadores deixados para trás em pleno estado de emergência

Por que razão a declaração de estado de emergência, tão ansiosamente solta pelo Presidente da República e empurrada para as mãos do Governo, não acautela e protege explicitamente estes e outros trabalhadores de despedimentos encapotados e intempestivos, numa altura em que ficarão ainda mais vulnerabilizados? Se não, por que foi autorizada pela maioria dos partidos, incluindo os que tradicionalmente os defendem? Não era esta uma emergência previsível? Continue a ler TAP – trabalhadores deixados para trás em pleno estado de emergência

E se a descarbonização falhar com quem trabalha?

Pela nossa parte, devemos continuar a exigir garantias claras no respeito pelos direitos dos trabalhadores e do conjunto da população desta região, pois o sentido da transição energética faz-se no respeito pelas pessoas e pelas suas vidas, faz-se com elas e por isso não podemos falhar antes de começar. Continue a ler E se a descarbonização falhar com quem trabalha?