Frida Kahlo: o seu legado está vivo e continua a inspirar-nos pela coragem de nunca desistir

Magdalena Carmen Frida Kahlo Calderón, mundialmente conhecida como Frida Kahlo, nasceu em 6 de julho de 1907, em Coyoacán, no México. Com uma vida marcada pela dor, sofrimento, paixões e perseverança nas suas causas, Frida Kahlo levou ao mundo as cores vibrantes e a energia do povo mexicano. Aos 6 anos, Frida teve poliomielite, doença que a deixou com sequelas numa das pernas. Foi na … Continue a ler Frida Kahlo: o seu legado está vivo e continua a inspirar-nos pela coragem de nunca desistir

Entrevista a Angela Davis – “Este momento reserva possibilidades de mudança que nunca experimentámos”

A revista Ipsilon do Público (19.06.2020) publicou um trabalho sobre Angela Davis, a ativista dos direitos dos negros e das mulheres, com uma entrevista em exclusivo conduzida por Isabel Lucas — “Acabar com o racismo é também acabar com os grandes problemas do mundo” — e, a propósito da edição em Portugal do seu recente livro “Liberdade é Uma Luta Constante” (Antígona), um texto sobre … Continue a ler Entrevista a Angela Davis – “Este momento reserva possibilidades de mudança que nunca experimentámos”

Feminismos – os desafios para os novos tempos

Há quem afirme que os feminismos são coisas do passado. Que a Igualdade entre mulheres e homens está de certo modo alcançada, que só faltará aplicar as leis produzidas por governos e instituições internacionais. Esta perspetiva de Feminismo da Igualdade[1] alimentada por um Feminismo Institucional[2] não é suficiente para a emancipação das mulheres. Esta depende de mudanças mais profundas na sociedade que ponham em causa … Continue a ler Feminismos – os desafios para os novos tempos

Esmeralda Mateus – rosto de lutas populares do Porto

Esmeralda Mateus, sócia-fundadora da associação UMAR, é um dos rostos mais conhecidos das lutas populares no distrito do Porto e no país, nomeadamente em relação aos direitos das mulheres e nas questões da habitação. Instada a discursar após receber o prémio, a activista afirmou: “Camaradas, só tenho estas palavras a dizer: é bem preciso começar de novo!”, referindo-se ao momento que o partido e o país atravessam. Continue a ler Esmeralda Mateus – rosto de lutas populares do Porto

Dia Internacional da Mulher – Para não dizer que não falei das flores

Menorizadas e subalternizadas ao longo dos tempos, as mulheres foram sempre invisíveis para a história, relegadas para um papel de sombra do homem. Mas nas casas, nas filas de montagem das fábricas, nas lides campestres, nas trincheiras de diferentes conflitos, liberais, pela independência, anticoloniais, batendo o pé por salários dignos, pelo direito a ter voz activa nas decisões do seu próprio país, através das urnas, e também na sua própria vida,  elas foram rebeldia e firmeza. Continue a ler Dia Internacional da Mulher – Para não dizer que não falei das flores