“ O limbo dos loucos” ou “ Gente como nós” ou “Cais de indignidade”

Há uns dias fomos confrontados com uma reportagem da TVI em que se punha a nu uma realidade que pareceria ser retirada de um filme de terror. Foi a segunda vez que esta estação televisiva se deslocou ao Hospital Conde de Ferreira, uma unidade de saúde mental da cidade do Porto, depois de terem surgido denúncias de maus-tratos aos doentes ali internados. A primeira vez … Continue a ler “ O limbo dos loucos” ou “ Gente como nós” ou “Cais de indignidade”

Má sorte a de Ihor Homeniuk

O que se passou em todo este processo do assassinato do cidadão ucraniano é de uma gravidade extrema. Num país que se assume como defensor dos direitos humanos, um país que há 47 anos se viu livre de um regime fascista onde os esbirros da PIDE torturavam e matavam, é lamentável que se assista impávido ao desenrolar deste drama, quando outros assuntos de muito menor … Continue a ler Má sorte a de Ihor Homeniuk

Velhos/as são os trapos!

Se é certo que a doença pode ter consequências mais graves nos idosos, também é certo que não atinge todos os que se encontram nesta faixa etária por igual. Há uma percentagem por quem o vírus passa sem deixar sequer sintomas. Por isso não farão nunca sentido medidas de restrição discriminatórias que têm como base, não a situação de saúde de cada um, mas simplesmente a idade que têm. Continue a ler Velhos/as são os trapos!

Dia Internacional da Mulher – Para não dizer que não falei das flores

Menorizadas e subalternizadas ao longo dos tempos, as mulheres foram sempre invisíveis para a história, relegadas para um papel de sombra do homem. Mas nas casas, nas filas de montagem das fábricas, nas lides campestres, nas trincheiras de diferentes conflitos, liberais, pela independência, anticoloniais, batendo o pé por salários dignos, pelo direito a ter voz activa nas decisões do seu próprio país, através das urnas, e também na sua própria vida,  elas foram rebeldia e firmeza. Continue a ler Dia Internacional da Mulher – Para não dizer que não falei das flores